Os Meus Artigos

quarta-feira, 17 de abril de 2013

A marmelar desde...


... desde... desde... mil novecentos e troca o passo!
 
Não me apetece recuar no tempo. Não me apetece relembrar o passado. Não me apetece, e pronto! Só o presente me interessa. O hoje. O aqui. E o agora. Ah! E quanto ao futuro, penso nele de uma forma ligeira e descontraída. Sonho. Desejo. Espero. Desenho mentalmente uns rabiscos das minhas vontades. Torço e faço por elas um bocadinho a cada dia que passa e espero... porque a esperança continua a ser uma das minhas virtudes.
 
Dizia eu que não me apetecia recuar no tempo, e acabei de o fazer. Fui só à agenda precisar a data em que os marmelos chegaram à tasca. Início de Novembro passado. Duas caixas bem cheias. Os frutos eram enormes e lindos. Dei cerca de metade, senão ainda hoje andava aqui a marmelar ou ter-se-iam estragado. Mesmo assim, marmelei muito. Pelas minhas contas, mais de vinte quilos de marmelos transformados no doce mais apreciado pelas minhas gentes. Foram tardes e noites ao fogão. Foram oferta a amigos e familiares. E ainda são o recheio fantástico de tostas, torradas e pãezinhos, a cobertura excelente de requeijão e queijo fresco, e... para quem gosta, a junção perfeita a uma fatia de queijo da serra.
 
Já coloquei aqui a minha versão de sempre da confecção da marmelada, mas desta vez fiz diferente. Ouvi tanta gente dizer-me que "Tu descasca-los?", "Isso dá uma trabalheira!",  "Porque não lhes tiras só o pêlo?". Resolvi dar ouvidos à praticidade da coisa e resultou estonteantemente bem!
 
De modos que, fiz assim. Em doses de três quilos de fruto de cada vez porque era a capacidade máxima da minha panela maior.

MARMELADA (versão II)
 
 
3 kgs de marmelos
2,5 kgs de açucar louro
1 dl água
 
Lavei bem os marmelos e com a ajuda do esfregão verde de cozinha, retirei-lhe todo aquele pêlo que lhes protege a casca. Cortei-os em quatro e retirei o caroço que não aproveito porque não apreciamos geleia. Foram para a panela, onde lhes deitei por cima, o açucar e de seguida, a água já a ferver. Liguei o bico do fogão e deixei cozer. Não anotei o tempo de cozedura, mas verifiquei-a quando mexi com a colher de pau e eles já se desfaziam. Retirei do lume e triturei tudo com a varinha mágica. Distribuí por taças e deixei ao ar, para ajudar a secar um pouco, durante três ou quatro dias. Pincelei com aguardente e cobri com papel vegetal.
 
Muito mais rápida, sem dúvida! E divinal!
 
Ainda há poucos dias a Titó me dizia:
 
- Ai Mãe Bela! Olha que para a próxima época do marmelo... vais ter bem mais que marmelar! ;)
 
 



8 comentários:

Alcina disse...

É o único doce/compota que o meu menino gosta, de vez em quando mando-lhe no pão para a escola e se demoro muito a mandar ele pede, outros doces nem toca...Eu faço de maneira diferente, mais trabalhosa, mas das que já experimentei é a que gosto mais :-)Para o ano também tenciono marmelar mais, mas eu para não fazer tudo de uma vez só congelo a polpa do marmelo e depois é só fazer na altura, assim não se estraga :-)

São Ribeiro disse...

Nunca fiz ,essa ficou com uma cor linda.
E assim é bem mais facil de fazer.
bjs

Ana Rita disse...

Ah pois vais vais. Os marmeleiros já estão em flor!

Abóbora Amarelinha disse...

A minha marmelada tambem é com casca... nem toda claro, a outra é descascada. beiji

Lurdes Losquinhos disse...

Tem uma cor linda.
Também faço à muitos anos com a casca.
Bjs

Anabela Julião disse...

Meninas,
Tenho o villumbre da próxima época de marmelar... os marmeleiros já estão em flor :) e modéstia à parte ficou uma delícia :)

Beijocas a todas***

A Paixão da Isa disse...

ficou com uma cor mt bonita mas essa de pencelar com aguardente nao conhecia bravo bjs bd

Anabela Julião disse...

A Paixão de Isa,
Pincela-se com aguardente para ajudar a conservar e não ganhar bolor :)

beijocas***

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...