Os Meus Artigos

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Feliz 2014...


... para todo vós!



Daqui a nada, ouvem-se rolhas de garrafas de champanhe a saltar e o fogo de artifício a estalar no ar. Daqui a nada, todos nos despedimos de um ano velho e recebemos o ano novo de braços abertos e sorrisos rasgados de esperança. Daqui a nada, brindamos e desejamos Feliz Ano Novo a todos os que nos rodeiam, a nós próprios e àqueles que trazemos no coração. Daqui a nada, mudamos o calendário e encetamos uma agenda novinha em folha. Daqui a nada, é hora de renovar escolhas e desejos. Daqui a nada é Ano Novo!

A todos os meus leitores desejo que neste Novo Ano que inicia daqui a nada, se concretizem todas as vossas aspirações, que a prosperidade se alcance a cada novo dia, que a paz seja constante nos vossos corações, que os sonhos se realizem, que os abraços e os sorrisos se multipliquem, que a saúde seja estável e constante e que o amor e a amizade estejam sempre presentes. Que daqui a nada, seja para todos, um... Fantástico Ano Novo!


domingo, 29 de dezembro de 2013

Sunday's Music, e...


... hoje é o último domingo de 2013!



...
Everything that downs me
Makes me wanna fly
...
Everything that kills me
Makes me feel alive
...
...
...
We'll be counting stars
...
...
...
The lessons are learnt


E esta foi uma das minhas músicas do ano!
Boa semana! Despeçam-se bem deste ano que termina e entrem ainda melhor no que vai começar!



sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

O Natal são dois dias e já passou...


... e o carnaval, são três!

Sim, eu sei, já passou, já lá vai. Foi calma e simplesmente planeado e não houve correrias às compras. A noite foi passada com a minha família de sangue descendente e respectiva família de afinidade. A ementa baseou-se no tradicional mas com algumas alterações na confecção. Queijos, paios, presunto, pastéis de bacalhau, frutos secos, melão e ananás abriram a ceia. Seguiu-se o bacalhau que, em vez de cozido, foi temperado com alho e tiras de pimento vermelho, bem regado com azeite e, acamado em cebola foi generosamente polvilhado com broa e mais alho e foi assado no forno. A acompanhar, as batatas que foram alvo de ligeira violência, levaram um murro com jeitinho e foram regadas com azeite quente e alho e polvilhadas com tomilho. Enquanto o forno bombava, no fogão, duas panelas com água a ferver e sal esperavam que as couves e o feijão verde mergulhassem com jeitinho. As garrafas de tinto abertas para o vinho respirar um pouco. A larica apertava. Tudo pronto. Finalmente, todos juntos. Todos à mesa.Tudo servido. Todos a saborear a merecida ceia. Seguiram-se as sobremesas. Arroz doce, bolo-pudim, filhoses, azevias, coscorões, bolo rainha, fruta, café e digestivo para quem aprecia. A noite já ia longa e a ceia foi apressada. Um imprevisto por motivos do temporal fez com que, pela primeira vez na vida, eu tivesse uma ceia de Natal em vez de um jantar. De repente apareceu um Pai Natal vestido a rigor e com o saco dos presentes às costas. A lareira estava acesa e não percebi bem como é que ele desceu por lá sem queimar o traseiro... Fez a distribuição e lá se desenharam alguns sorrisos naqueles rostos quedos e preocupados. Foi tudo embora e também eu regressei à Tasca para um sono que devia ter sido tranquilo e reparador, mas que, sei lá eu porquê, não foi.

Amanheci ainda a luz do dia dormia profundamente e por mais que tivesse tentado, não lhe consegui acompanhar o repouso. Saltei da cama e deparei-me com os olhos esbugalhados dos meus gatos, como quem diz - "já? ainda é tão de noite! porque não vais dormir mais, Mãe Bela? - e dirigi-me à cozinha para um pequeno almoço madrugador. Acendi a lareira, fiz a tarefas habituais de rotina diária doméstica (aqueles que têm miaus em casa sabem bem quais são). Preparei o almoço e a mesa de natal para duas pessoas, eu e a minha família de sangue ascendente. Canja de galo, galo corado no forno com arroz de miúdos de forno. Garrafa de tinto aberta para o vinho respirar. Sobremesas sob um lado da mesa. Arroz doce, filhoses, pudim de pão e tarte de amêndoa. Almoçámos as duas, tranquilamente. Para fazer a festa estiveram os meninos miaus sempre com macacadas. Fiquei só com eles logo depois do almoço e o cansaço abateu-se sobre mim. Abasteci a lareira com lenha, enrolei-me na mantinha e dormi profundamente aquilo que não tinha dormido de noite. Acordei com a vinda da família descendente para dar um beijinho e passar um bocadinho. Foram embora e, voltei a enrolar-me na mantinha a ler e com a gataria a disputar o melhor lugar em cima de mim.

O primeiro dia deste Natal foi agitado mas ninguém se magoou, foi o mais importante. O segundo dia deste Natal foi tranquilo e repus o sono atrasado. Petisquei de tudo e não cometi exageros, por isso não me sinto a rebolar em vez de andar, o que é fantástico. Recebi miminhos e alguns presentes que não esperava.

Apesar de tudo e, apesar de logo no princípio do primeiro dia de Natal ter ouvido alguém dizer - Só me apetece cancelar o Natal! - e ao que respondi - E que tal se o mudássemos para o Carnaval? - só porque sempre era mais um dia de festa e quem sabe, de folia, e também porque ainda faltava mais um tempo para lá chegar e até lá talvez até se conseguisse deixar entrar bem o espírito da festividade e porque, não obstante o estímulo incutido a vivenciar esta época com ânimo e entusiasmo... chegou a data, passou num ápice e, há coisas que nunca mudam, outras que se alteram e desejos que vão ficando por concretizar.

(euzinha em modo relax - não há fotos das paparocas - ninguém se lembrou)


Resumindo, foi um Santo e Feliz Natal e que haja saúde que daqui a uma ano há mais!


segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Feliz Natal!





A todos os Amigos e Visitantes desta tasca, a Cenourita e a Família Felina Feliz, desejam um Feliz Natal!

Que todos os rostos se iluminem com sorrisos de amor e esperança, coragem e alegria
Que todos os corações transbordem paz, bondade, inspiração e amizade
Que a saúde esteja no ponto certo em cada dia
Que nunca falte a comidinha na mesa, nem um tecto que nos proteja
Que haja sempre uns trocos na algibeira!

Feliz Natal!



domingo, 22 de dezembro de 2013

Sunday's Music


Porque o paraíso pode ser em qualquer lugar... desde que nos sintamos bem!





Votos de boa semana, de boas férias (para quem for o caso) e votos de Boas Festas!


Carta ao Pai Natal


Querido Pai Natal,



Já fez um ano que te escrevi, pela última vez. Como o tempo passa... parece que foi há dias atrás... Bem sei que falta pouco para a maior noite do ano e não sei se esta minha carta irá chegar a tempo de a leres com todo o carinho que te é característico, pois deves andar bué atarefado a ultimar os preparativos para tão longa viagem e distribuição de presentes por esse mundo fora. Desejo que te encontres em boa forma física para a escalada aos telhados e chaminés e que as tuas renas estejam bem nutridas e cheias de vigor para tão longos caminhos a percorrer, pois há um mundo inteiro à tua espera e as crianças anseiam pela magia que espalhas ao descer os céus no teu trenó semeando estrelas cintilantes que brilham no crepúsculo formando um trilho de ilusão. Não quero tomar-te muito tempo para leres a minha missiva porque ele urge e esta já vai um pouco em cima da hora, por isso passo já aos meus pedidos deste ano que, como bem te deves lembrar, são na maioria, repetidos!, quiçá por não te caberem no saco que carregas às costas ou talvez até nem tenhas encontrado à venda nos shoppings nem no comércio tradicional.
Então cá vai a minha lista:
- saúde
-  paz
- alegria
- amor
- paciência
- amizade
- concretização de alguns sonhos...
Hein?! Estás a franzir o sobrolho? Pronto, ok! Eu compreendo... nada disto se vende, nada disto se compra, nada disto se embrulha num papel de fantasia e se enlaça com uma bela fita dourada, vermelha, verde ou prateada. No entanto, agradeço-te por cada um destes nobres sentimentos com que me brindaste neste ano que está prestes a findar e prometo-te (apesar de não gostar de prometer nada a ninguém por receio de falhar) que para o ano que aí vem e em cada dia da minha vida irei continuar a esforçar-me para dar o meu melhor.
Passo então à outra lista, àquela que é material e com que talvez tu me possas presentear:
- um bilhete para o Rock in Rio 2014 (escolha do dia por minha conta porque ainda não conheço o cartaz)
- um bilhete para o Optimus Alive 2014 (Imagine Dragons e The Lumineers estão nos meus favoritos)
- uma viagem de ida e volta de combóio alfa pendular até à cidade do Porto e de preferência com estadia para uma noite na cidade
- livros - a wishlist é extensa mas deixo-te estas sugestões - Quando o Cuco Chama, Anjos e Demónios, O Diário de Anne Frank, Bridget Jones-Ele Dá-me a Volta à Cabeça, A Rapariga que Roubava Livros e alguns - todos, vá! que eu quando começo a ler um autor gosto de ler tudo dele - de Carlos Ruiz Zafon, Ken Follet e Haruki Murakami.
E é tudo o que me consigo lembrar de momento e, como vês, meu querido Pai Natal, até te facilitei a vida deixando-te os links onde podes adquirir qualquer um dos presentes online e confortavelmente sentado na tua poltrona a beber um chocolate quente e a saborear umas deliciosas bolachinhas de gengibre que tão bem sabem com o frio que se faz sentir.
Se não conseguires presentear-me com nenhum destes meus desejos nesta época natalícia, não fiques preocupado porque eu sei esperar e qualquer dia do ano pode ser dia de Natal e qualquer dia do ano se podem oferecer e receber presentes e, além disso, esta lista não perde validade (salvo os concertos, claro! atenção nisso!) e se algum item se concretizar eu apresso-me a avisar-te, ok?!
Por este ano é tudo! Despeço-me com amizade e com todo o carinho que nutro por ti e olha que quando desceres a minha chaminé, terás na mesa e à tua espera o habitual prato de filhoses e bebida variada a gosto!

Boa viagem! E que faças muita gente feliz!


sábado, 21 de dezembro de 2013

O Solstício de Inverno...


... ocorreu hoje às 17h11m!

Foi o dia mais pequeno do ano. O dia com menos horas de sol, com menos tempo de luz natural. O dia esteve lindo. Céu azul com algumas nuvens e o sol brilhou mas a temperatura sentiu-se fria. Própria de um Inverno que, apesar de se assinalar hoje a sua entrada no calendário, se fez sentir a maior parte dos dias de Outono. Não lido bem com o frio, ou com a percentagem de humidade associada a ele, tão característica da zona onde vivo. Não gosto de me sentir vestida em modo cebola às camadas. O excesso de roupa tolhe-me os movimentos e atrapalha-me. Opto por camisolas quentinhas e enrolo-me em lenços e écharpes. E os pés? Esses são os que mais sofrem... eles gostam é de andar ao léu e nesta época do ano é meia, sobremeia e mais meia por cima que é para abafar melhor... um verdadeiro suplício, portanto! 

E o que é que eu fiz para fantasiar a Primavera que ainda vem longe e ao mesmo tempo solenizar a época natalícia?

- Pintei as unhas de verde!

Foi uma espécie de alienação mental que me deu. Eu não sou moça de verdes em roupas, acessórios e similares (excepção feita ao verde-alface), não sou mesmo. Concebo-o e venero-o na natureza e, claro, na minha farta e imaginária rama de Cenourita que sou - eheheheh - mas, ao início da tarde de hoje, peguei na caixa dos vernizes e material de manicure doméstica, decidida a mudar o visual habitual das minhas garras. E o que é que encontrei lá? Verniz verde! 

- Bora lá fazer uma espécie de homenagem do pinheiro de Natal! 

Então e não é que até gostei! Para quem habitualmente pensa que há coisas que nunca mudam, hoje algo mudou! Passei a gostar de verde! E sinto-me confortável com o meu novo gosto. 




Mudar é bom! Mudar faz bem! Mudar é sinónimo de renovação! 

- Bem-vindo Inverno!


domingo, 15 de dezembro de 2013

Sunday's Music, e...


... poucas palavras porque não há muito que dizer!



...Come on you boy child, you winner and loserCome on you miner for truth and delusionAnd shine!

Que em cada dia da semana que vai começar, tudo brilhe e sobretudo, brilhem olhos e corações! Boa semana!


segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Cenourita, o que fizeste tu num domingo de relax?






Foi isto!
E só aparece a Lira porque os manos miaus dormiam e ela queria mimalhice... Perfeito!



domingo, 8 de dezembro de 2013

Sunday's Music






O líder mundial da luta pela Paz e pela igualdade racial deixou ao mundo um exemplo de força e coragem! Descansa em Paz Nelson Mandela!

A todos, boa semana, plena de paz!


sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Raciocínio vs Inteligência...


... é o que difere as pessoas dos animais!

E onde é que está a diferença?

Ora pois'tá claro que o ser humano pensa, imagina, julga, alvitra, premedita e actua. E quando é para o mal até se esmera no cálculo (ai! assim fosse para o bem!) e se for preciso nem dorme e fica descansadinho da silva logo após o desejo cumprido...

Os animais comportam-se assim?

Pois aí está a diferença! Se fizerem mal a alguém só poderá ser por três razões: fome, medo (o característico instinto de sobrevivência), ou porque foram educados para a violência.

Há semelhanças?

Sim, há! Todos são animais, só que uns são racionais e outros irracionais.

Qual destas duas espécies amedronta e faz sofrer mais?

Para mim, são mesmo os racionais. O veneno está-lhes na composição sanguínea e não perdem, ou até criam, oportunidade a gozo de o destilar doa a quem doer. E a verdade é que dói e por muito treino que o alvo preferido possua, a dor é sentida e o vinco acentua-se cada vez mais profundamente e até não haver água que o dilua nem lume que o apague.

Sem pretensões em generalizar, porque há pessoas e pessoas e, felizmente ainda há algumas em que os valores de integridade e honestidade são dignos de se lhes dar e prestar toda a confiança, mas... outras há que, insensatez poderia bem ser o seu primeiro nome seguido dos apelidos: astúcia, maldade, infame, vil e mais uns quantos que agora não me ocorrem.

E não! Não ando de mal com a vida nem com ninguém, mas entristeço-me e preciso de deitar cá para fora quando assisto, na primeira fila, a joguetes de pura malvadez! 


terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Em busca do espírito natalício...


... fizeram-se as primeiras decorações na Tasca e deram-se as boas vindas ao mês de Dezembro!

O primeiro dia deste mês amanheceu gelado como nos dias anteriores. A meio da manhã já a lareira bombava para manter o ambiente acolhedor que tão bem sabe a humanos e felinos. Convocou-se a ajuda da filhota e companhia que apareceram depois do almoço para em família fazermos a árvore de natal e assim atrair o espírito da época. Música de natal a tocar, uma tarte no forno e as caixas dos enfeites desceram do sótão até à sala.


Depois, o lanche merecido!

A receita escolhida, tinha visto no dia anterior no blog Bago de Romã e vinha directamente do blog O Cantinho da Nanda que, cedo demais nos deixou... e assim também eu presto a minha homenagem a uma pessoa que acompanhei virtualmente e que muito admirava.


TARTE DE IOGURTE



200 gr açucar*
2 ovos
100 gr farinha
50 gr manteiga derredita
500 gr iogurte (usei grego natural de marca branca que compro em "baldes" de 1kg)
açucar em pó qb para polvilhar

Bater o açucar com os ovos até ficar um creme fofo. Juntar a farinha e envolver bem. Adicionar a manteiga derretida e de seguida o iogurte e voltar a envolver bem o preparado. Verter a massa para uma forma préviamente untada (usei óleo em spray) e polvilhada com farinha. Levar a cozer em forno pré-aquecido a 180º por cerca de vinte cinco minutos até ficar uma cozedura loirinha e para não deixar secar já que fica bastante húmida. Retirar do forno, desenformar e deixar arrefecer. Depois de fria, polvilhar com açucar em pó.

- Maravilhosa! E a repetir, sem dúvida!

*em relação às duas receitas, optei por reduzir a quantidade de açucar usando apenas 200gr e achei muito boa assim


domingo, 1 de dezembro de 2013

Sunday's Music, e...


... um concerto genial a que assisti ao vivo no Teatro José Lúcio da Silva, esta semana!




São portugueses, cantam e tocam clássicos dos anos 20 aos anos 60. Jazz, Swing e Rock'n'roll. São brilhantes, tanto os músicos como as vozes e vale a pena conhecerem, ouvirem e... assistirem ao vivo!

São espectaculares! The Lucky Duckies! Oh yeah ;)

Votos de uma excelente semana!


sábado, 30 de novembro de 2013

Foi um stress ...



... a saída matinal de hoje cá de casa!*

A confusão começou com a perturbação na rotina diária dos meninos miaus. 

Logo de manhã, as transportadoras estavam fora do sítio habitual, ali mesmo a jeito de os enfiar lá dentro e eles que são mais espertos que sei lá o quê toparam logo e começou o filme. Foi vê-los a olhar de lado, de cauda caída e a esconderem-se. Foi aliciá-los com biscoitos, ir atrás deles, fazer-lhes festinhas e explicar-lhes que era o dia da consulta  e vacinação anual. E eles com aquele olhar triste e quase de súplica - Mãe Bela! Não! Não é preciso! - e nem os biscoitos, que eles adoram, foram devorados com a avidez habitual, antes com uma desconfiança descomunal. Com alguma dificuldade e numa espécie de jogo do gato e do rato lá entraram nas transportadoras e seguimos viagem. Senhor Petit Manuel fez um berreiro o caminho todo - miau miau miau miau - ao que eu lhe respondia - tem calma Tinininho que é já ali - mas o ali nunca mais chegava e ele não parava de reclamar. Lá lhes relembrei que tínhamos mudado de Doutor de Família e que era só um bocadinho mais longe e que o passeio de carro demorava só mais uns minutitos. 

Lá chegados, o Doutor e a Enfermeira da Família Felina Feliz esperavam-nos. Entrámos e fomos de imediato atendidos. Napoleão Manuel foi o primeiro e portou-se lindamente. Seguiu.se o Senhor Petit e deu-se início ao ambiente de hostilidade... aquilo foi o caos... ele não deixava fazer nada e reclamava e deitava as garras de fora e tentava fugir e nem com guloseimas e festinhas, o menino acalmava. Perante tal cenário, Dona Lira Maria Pxexa que se passeava, aparentemente calma, pelo consultório, vai de saltar em defesa do irmão Petit subindo para cima da marquesa a ver o que se ali passava e porque tanto o rapaz berrava... Foi largar o rapaz para se acalmar e pegar na rapariga que até se portou bem. Segui-se a Pipoca que não saía de dentro da transportadora nem por nada, pudera!, depois de assistir ao comportamento do irmão... até se portou bem na consulta e no corte das unhacas mas no final ainda afinfou umas patadas na mão da enfermeira e na mão da Mãe Bela. Retomou-se a consulta do sindicalista Petit Manuel que não deu tréguas e foi difícil até ao fim!

Ufff!!! Foi stress para eles, para quem os acompanhou e para quem os consultou... que dizem - Isto é perfeitamente normal! Estamos habituados! São quatro e protegem-se uns ao outros e o medo de um transmite-se aos outros!

Não houve feridos. Só muito pêlo pelo ar. O regresso a casa foi ligeiramente mais calmo, ainda com uns miau miau miau mas mais serenos.

O resto do dia, o Petit Manuel passou-o de trombas e a fingir que dormia no cesto (tem mesmo muito mau feitio o meu mor moreno) enquanto os outros, tudo bem, tudo normal como se nada se tivesse passado... 


* para a próxima vão dois de cada vez a ver se a coisa corre de modo mais tranquilo! E no meio de tanta confusão a enfermeira ainda lhes tirou umas fotos.


quarta-feira, 27 de novembro de 2013

E o que se faz com as sobras...


... quando a quantidade cozinhada é demais para uma refeição?

Se há coisa que abomino é estragar ou deixar estragar o que quer que seja e no que toca a comida, esse bem tão precioso quanto a saúde, não deixo que nada se perca. Na cozinha da Tasca tudo se transforma. E de uma refeição como esta que foi cozinhada em abundância para três comensais, o sobejo foi em suficiente quantidade que se reciclou para os mesmo três e para uma refeição do dia seguinte! 
No final da refeição, retirei peles e espinhas do bacalhau. Sobre a tábua de cozinha cortei as batatas cozidas em cubos pequenos, um ovo inteiro e a couve cozida também aos bocadinhos. Deitei tudo num pirex e por cima o grão com a cebola. Tapei e guardei no frigo.

ROUPA VELHA DE BACALHAU



6 ovos
1 bom fio de azeite
1 cebola picada

No wok coloquei a cebola picada e reguei com um bom fio de azeite. Liguei o bico do fogão e deixei cozinhar brevemente. Juntei as sobras todas que estavam no pirex e envolvi bem. Bati os ovos com a varinha mágica e acrescentei dentro do wok. Deixei cozinhar mexendo sempre com a colher de pau sem que pegasse ao fundo. Servi.

Hummm... delicioso!!!


terça-feira, 26 de novembro de 2013

A ciência está no saborear...


... em boa companhia!

Batatas, grão, couves, ovo, bacalhau, cebola e salsa picada, azeite, brôa e um tinto é um verdadeiro manjar dos Deuses. Não se segue uma receita, segue-se o ritual de preparar os ingredientes, pegar nas panelas, ligar o fogão e deixar cozinhar. Depois... mesa posta, boa companhia e apetite qb fazem toda a diferença numa refeição em que a ementa é, mais uma vez, típica da gastronomia portuguesa.

BACALHAU COM BATATAS, GRÃO, COUVES E OVO



3 postas bacalhau
batatas para cozer (variedade monalisa)
couve portuguesa (2 grandes e lindas)
1 frasco de grão cozido
3 ovos
1 cebola picada
1 ramo salsa picado (desta vez não usei porque não tinha)
sal qb1 colher de café de bicarbonato de sódio

Duas panelas com água e uma pitada de sal ao lume e deixar ferver. Numa, colocar as batatas e depois de começar a ferver, juntar o bacalhau e os ovos. Noutra, colocar as couves e depois de ferver, deitar o bicarbonato de sódio para que fiquem macias e não amarelarem. Escorre-se o grão do líquido de conserva e aquece-se (verti sobre ele água fervente directamente do jarro eléctrico e escorri), mistura-se-lhe a cebola e a salsa picada e rega-se com azeite. Tudo cozido e é só servir nas travessas e levar à mesa. Cada um serve-se a gosto e rega com o azeite.

Mnham mnham mnham!!! Adoro!!!

São servidos?


domingo, 24 de novembro de 2013

Sunday's Music, e...


... objectivo de fim de semana, cumprido!





De entre muitas coisas... Bom p'ós miaus e para a Cenourita ;)

Votos de uma excelente semana!

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Sexta-feira rima com...


... fim de semana e lareira!

Yes! 

Finalmente acabei de entrar em modo fim-de-semana, e bem que preciso. Preciso de descontrair no quentinho do lar, preciso de no sofá me esticar, preciso de a um livro me agarrar, preciso de comidinhas reconfortantes para me deleitar, preciso de meias de lã quentinhas calçar e de numa mantinha polar me enrolar... e tudo isto na fiel companhia dos miaus a ronronar.
Ao que perece, os senhores da meteorologia não se enganaram e o frio veio mesmo para ficar, e eu vou aproveitar para assim descansar.

Fica esta sugestão para quem quiser saborear. Um dos meus "petiscos" favoritos da comida tradicional portuguesa.

ARROZ  DE CABIDELA DE FRANGO (OU GALO)

- ó p'ra ele a fumegar -

1/2 frango caseiro cortado em pedaços pequenos
1 cebola grande finamente picada
2 dentes alho picados
1 folha louro
vinagre de vinho branco a olho
arroz qb (uso uma medida que dá cerca de 200gr)
sangue (da matança do frango, a olho mas quanto mais, melhor) 
azeite qb
sal qb
água a ferver qb

Corto o frango em pedaços pequenos para cozinhar bem e rápido e tempero-o apenas com um pouco de sal. Num tacho, coloco a cebola e o alho bem picadinhos e a folha de louro, rego com um bom fio de azeite e deixo cozinhar um pouco. Junto o frango e envolvo bem. Tapo o tacho e deixo cozinhar a carne apenas naquele tempero e no vapor que forma lá dentro, mexendo de vez em quando. Quando já está cozido, junto o arroz e envolvo-o na carne, de seguida a água a ferver (3x a quantidade de arroz), rectifico o sal e quando o arroz está quase cozido, retiro do lume, deito o sangue (que já tem vinagre desde a colheita para não coalhar) e ainda rego com mais um pouco de vinagre. Levo de novo ao lume por breves minutos (1 ou 2 até ferver), retiro e sirvo de imediato.

Faço quase sempre só para mim, a filhota não gosta, e rende-me para duas e às vezes três refeições, o que não me desagrada nada porque mesmo aquecido no micro-ondas sabe-me sempre bem!

Já disse que adoro este petisco? Já? Desculpem, mas é que adoro mesmo :)

Bom fim de semana!

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Sou de listas...


... mas não sou zebra!*



Listas de tarefas domésticas, listas de tarefas profissionais, listas de compras, listas de desejos, listas de ajuda e dicas, listas de livros a ler, listas de petiscos a cozinhar, listas para tudo e mais alguma coisa e até listas de pensamentos que me vêm à ideia... blocos, cadernos, folhas soltas e post it's acompanham-me para todo o lado e têm que estar sempre à mão. 
E o que é que me dá mais prazer neste de rol de listas? É, numas, passar-lhes por cima um risco ondulado e noutras um sinal de visto. Ambos significam "feito" E isto é o que tenho andado a fazer nos últimos tempos... é passar sobre elas estes sinais. E sinto-me tão bem com isto :)


*embora a minha cor favorita para escrever seja a tinta preta ou o lápis de carvão.



domingo, 17 de novembro de 2013

Sunday's Music




Dar uma volta pelo móvel da música cá de casa e encontrar sons que não se ouviam há muito... muito ... tempo... escolhi este para vos desejar uma óptima semana!


sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Reflexão de uma sexta-feira...


... e final de uma semana exigente!



"Que não se tenha pressa mas também que não se perca tempo..."


domingo, 10 de novembro de 2013

Sunday's Music


There was a time
I used to look into my father's eyes
In a happy home
...
...





Love this!

Boa semana!


sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Qual a energia que te move, Cenourita?


A energia que me processa o movimento vem de dentro. De dentro do meu corpo, do meu sangue, do meu cérebro, da minha alma. Não me move à toa, precisa de alimento. E convém que para que tudo funcione sem atrofios os nutrientes essenciais estejam disponíveis naquela dose certa para mim. O sol, a lua, a água, o ar, o verde da natureza, o azul do céu, as cores vivas e alegres no meu espaço, os meus aromas preferidos, as palavras, os carinhos, as atitudes, as pessoas, os animais, as imagens, os desejos, os sabores... tudo isto e mais qualquer coisita que me possa escapar neste momento é devidamente processado e transformado em vitalidade física e mental. Uns dias forte que nem um vulcão... outros, fraca que nem um pintaínho acabado de debicar a casca do ovo para ver pela primeira vez na sua vida a luz do dia.
E nesses dias, em que a falta de um ou mais nutrientes que me sustentam, há um outro que não substitui mas que compensa...

E hoje, dei um saltinho ali a uma lojita para adquirir a um preço mais simpático que o habitual, um dos combustíveis que ajudam a restituir súbitas perdas de energia. O preço estava mais simpático do que é habitual, por isso... abasteci o stock!*



Não vá a energia falhar...**

*a senhora da reposição não me deixou trazer uma palete inteira por via de mais alguém necessitar deste combustível. Compreendi! Mas vim bem aviada ;)
** se me quiserem oferecer presentes, não se acanhem... garanto total consumo, mas moderado ;)



quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Os sonhos não têm fim!


Há dias em que o desassossego começa com o toque do despertador a suspender um sonho daqueles que ninguém gosta de ver interrompido. Fica-se em estado pendurado, sem chão debaixo dos pés e quase a esbracejar numa tentativa de guiar as asas que não se têm e aterrar precisamente no tempo e local onde a cena se desenrolava milésimos de segundos antes daquela toada chilreante saída do aparelho multifunções que também dá para fazer e receber comunicações telefónicas e, pior, fica-se sem saber as cenas seguintes daquele episódio cheio de acção e mistério, aquela expectativa do restante desenrolar de acontecimentos onde umas vezes até se é um dos protagonistas da situação e outras um personagem com menor importância na história ou até mesmo um simples figurante. Prime-se um botão  e corta-se aquele som que nos grita aos ouvidos anunciando a luz do novo dia dando-lhe ordem para lembrar daí a cinco minutos que o sol já acordou e os passarinhos também e o corre-corre fora dos lençóis já começou há muito para muitas gentes. Dá-se o corpo à arte de embrenhar por entre a roupa da cama e as almofadas na tentativa de pegar no fio perdido daquela ilusão que há momentos se vivia como realidade e, o fio já não é recto nem curvilíneo e transforma-se num novelo cheio de pontas soltas. Os passarinhos ao lado da cabeceira da cama voltam a chilrear e embaraçam-se naquele novelo despontado. A ilusão e a realidade envolvem-se indiscretamente e a luta debaixo do agasalho mantém-se firme mas confusa. O mundo gira lá fora e o corpo e mente adormecidos começam por dar tréguas cedendo ao êxtase. A custo, estende-se um braço apalpando sobre os abafos e lá se encontra o aparelho multifunções que naquele turbilhão quase se tinha perdido. Prime-se-lhe no vermelho e os passarinhos espantam-se e fogem, calam-se até ao dia seguinte à mesma hora. 
Que estranho!... Será que vão sonhar para outro lado?... O dia começou, com o desassossego do sonho não ter tido um final feliz.

Poderá um sonho ter fim?


quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Hello! Hello! Estamos aqui...


à espera de sumiço!

Gritavam elas, as maçãs na fruteira. Gosto de maçãs. De todas as variedades. Assadas, cozidas e às dentadas. Naquele dia, umas quantas brilhavam e piscavam-me o olho - as marotas - enquanto eu cirandava pela cozinha. De volta de tachos e panelas, a confeccionar doçaria para o inverno (para o inverno, nada! para nós, gulosos!) e comidinhas reconfortantes que apetecem quando o tempo arrefece e os dias se tornam cinzentões. Elas ali, expostas, chamavam-me a atenção, e eu, fingindo-me de despercebida já as mentalizava embrulhadas na massa e polvilhadas com canela.

TARTE FOLHADA DE MAÇÃ



1 base massa folhada rectangular (usei do Lidl, adoro esta massa)
2 maçãs grandes Golden
1 colher (das de sopa) bem cheia de canela
geleia de arroz qb (para pincelar)

Comecei por ligar o forno e pré-aquecê-lo a 180º e de seguida, desenrolar a massa e cortá-la ao meio no sentido longitudinal. Estendi uma parte da massa sobre papel vegetal, piquei-a toda com um garfo e espalhei uma generosa camada de puré de maçã sem deixar chegar às extremidades laterais. Por cima, dispus as maçãs descascadas e cortadas em quadradinhos pequenos. Polvilhei generosamente com canela. Assentei-lhe por cima a outra parte da massa já golpeada e fechei as extremidades com a ajuda de um garfo. Pincelei toda a superfície com geleia de arroz e foi a cozer durante cerca de quarenta minutos.

E o cheirinho que pairava no ar? E o sabor? Ainda quentinha com um chá antes de deitar?

É Outono. Os raios de sol fraquejam. O tempo arrefece. Escurece mais cedo. Tem dias que chove. E a actividade na cozinha intensifica-se naturalmente...



terça-feira, 5 de novembro de 2013

À primeira todos caem...


... à segunda cai quem quer e à terceira e quarta e tecatecateca... só cai quem é imbecil.*



Viver em sociedade não é fácil. Necessitamos de um tremendo jogo de cintura para digerir e passar à frente uma série de situações que se nos atravessam no caminho dia após dia. Por muito que tente fugir de gente desonesta e de duas caras treino que já tenha efectuado neste sentido, por muitas oportunidades que já tenha dado a algumas pessoas, ora pelo benefício da dúvida, ora pelo perdão, ora pela compreensão, ora pela tentativa de esquecimento traduzida em arrumar certas coisas numa gaveta bem fechada e atirando a chave para bem longe sem que lhe siga o rasto nem lhe consiga sentir o cheiro, contínuo a ser tristemente surpreendida na forma de actos e palavras. Não posso viver numa redoma de vidro ou fechada numa bolha de ar. Nem eu nem ninguém e, a convivência, segundo o meu padrão de vida, deveria assentar sempre na base do respeito em primeiro lugar e depois desse primordial valor deviam seguir-se outros de grande mérito e indispensáveis nesta enorme roda de desunião humana... a sinceridade, a honestidade, a solidariedade, e muito caminho a palmilhar até chegar ao supra-sumo daquilo que se poderá algum dia chamar de Amizade.

Ao dia de hoje, concluo que a prudência tem sido insuficiente. É isso ou, a minha propensão à queda na teia deste tipo de gente é absolutamente real e não há nada a fazer... 

Haver, há! Que eu tanto levo que hei-de aprender!

*eu! Que não há meio de aprender a lição, irra!!!

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Reúnem-se os ingredientes necessários...


... com a família e uma enorme vontade de amassar e só pode sair coisa boa e muita diversão!

Foi assim no passado sábado. Mais do que manter um hábito da época, mais do que gulosice (apesar de, desde meados do verão se sonhar com este dia) é a vontade de viver e partilhar bons momentos uns com os outros que impera. Um dia diferente. Juntos na cozinha e juntos à mesa. Risada, animação, preparar a massa com muita diversão, assim se cumpriu mais uma tradição.

A receita é a de sempre e podem vê-la aqui! A única diferença, é que este ano foram cozidas em forno de lenha, e numa cozinha que não a minha... ah! e, também não as fiz sózinha :)

MERENDEIRAS DE BATATA DOCE



Passeou-se pelo campo. Apanharam-se marmelos. Brincou-se com gatos e ainda se foi até ao centro da cidade comer (e buscar para o lanche) as belas das castanhas assadas. Forno aceso e almoço e jantar lá cozinhado!



Provaram-se a merendeiras com um vinho do Porto envelhecido. Gostosas e Maravilhosas! 



Que coisas boas! Que dia bem passado!

domingo, 3 de novembro de 2013

Sunday's Music


Eu sei! Eu sei!
Eu sei qu'esta música está a passar nas rádios a toda a hora. Já toda a gente a conhece e deve saber de cor. Mas o qu'équ'isso interessa quando assim que começam os primeiros acordes me dá vontade de aumentar o volume e cantar?




Boa semana!

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

A minha primeira experiência...


... com a Actifry 2+1!

Pois, ela veio viver cá para casa já há algum tempo. Há muito que constava de uma das minhas wishlists e a oportunidade surgiu. Esteve sossegadinha na bancada da cozinha durante algumas semanas porque estava muito calor e não apetecia cozinhar coisas quentes. Até que o tempo começou a refrescar e eu me decidi a preparar a primeira refeição com a sua ajuda. Tinha destinado uma coisa para  a estreia do robot, mas trocaram-me as voltas e os horários e acabei por decidir "desenrascar" com uns croquetes que tinha na arca. Em boa hora folheei o livro de instruções e receitas e:

- Ehlah! Mas eu posso fritar os croquetes na Actifry! E diz que até posso fazer lá também o arroz! Bora lá testar a coisa!

CROQUETES DE CARNE COM ARROZ DE TOMATE CHERRY



12 croquetes
1 colher/medida de azeite

muitos tomatinhos cherry (uns 20+/-)
1 cebola picada
1 dente alho
1 colher/medida de azeite
sal qb
1l água a ferver
arroz (usei a minha medida habitual */- 200gr)

Na cuba da máquina coloquei a cebola, o alho, o louro, os tomatinhos lavados e cortados em quatro e o azeite. Fechei a tampa. Programei cinco minutos e liguei. Ao fim desses minutos, juntei o arroz e deixei cozinhar por 2 minutos. Abri a tampa e juntei a água já a ferver e o sal. Fechei e programei o pictograma para trinta e cinco minutos. Ao faltarem quinze minutos para terminar a cozedura, a máquina apita, abre-se a tampa e coloca-se o tabuleiro com os croquetes pincelados com o azeite. Fecha-se e enquanto o arroz termina a cozedura, os croquetes assam. Durante estes minutos finais, abri a tampa para virar os croquetes e assim eles ficarem com uma assadura homogénea.



Ficou tudo um espectáculo! Adorei o arroz e os pastéis ficaram divinais!

Logo à primeira, a máquina passou no teste e desde então tem trabalhado bem :)


segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Procura-se diamante para relacionamento sério


Nunca tinha lido nada desta autora, mas o título e a sinopse fizeram-me despertar a atenção. Confesso que gostei bastante e me diverti imenso a lê-lo imaginando as cenas na realidade. Fiquei também com vontade de ler outros títulos da autora, como: "O Diabo Veste Prada", "A Última Noite no Chateau" e "Sexo, Intrigas e Glamour".




Sinopse:

"Emmy, Leigh e Adriana são três amigas que, prestes a chegar aos trinta, e apesar de tudo o que ao longo desses anos alcançaram, não têm a certeza de terem a vida com que sonharam. Então, uma noite, Emmy e Adriana fazem um pacto: no espaço de um ano, terão de mudar radicalmente as suas vidas. Leigh mantém-se de parte, mas sabe que, das três, é quem tem mais a perder… A autora de O Diabo Veste Prada e Sexo, Intrigas e Glamour regressa com um romance pleno de humor e sensibilidade que constituirá uma leitura irresistível."



A Autora:
Lauren Weisberger é autora de O Diabo Veste Prada, que passou mais de um ano na lista de bestsellers do New York Times e deu origem ao filme com o mesmo título, protagonizado por Meryl Streep e Anne Hathaway e vencedor de um Globo de Ouro. O seu segundo romance, Sexo, Intrigas e Glamour, tornou-se igualmente um bestseller do New York Times. Ambos foram publicados pela Presença nesta colecção. Lauren Weisberger vive em Nova Iorque.


A precisar de soltar umas gargalhadas peguei neste livro. Uma leitura leve e ideal para descontrair a mente libertando-a do pensamento pesado de certas alturas dos dias das nossas vidas. Uma história divertida que prende o leitor. Repleta de aventuras e situações muito cómicas entre três amigas cheias de vontade de mudar de vida e que decidem de uma forma arrojada, fazê-lo. 
No meio de tantas peripécias que cada uma vive à sua maneira a maior lição de vida que se pode tirar desta história é que o mais importante, por vezes, não é mudar de vida mas sim, adaptar-se a ela conforme as circunstâncias.

Recomendo!

domingo, 27 de outubro de 2013

Sunday's Music e...


... um dia enorme!

Pois bem, a hora mudou e diz que se dormiu mais uma hora. Não sei não, mas este dia de hoje teve vinte e cinco horas e eu gostei (a parte de ficar noite mais cedo é que me vai atrofiar daqui até a hora mudar outra vez, mas isso agora não interessa nada). Não me pareceu domingo. Andei o dia todo entretida com afazeres domésticos que teimava em protelar e hoje foi o dia. Rendeu, portanto!





A música e as tropelias dos môs gatos, foram a minha du best companhia!

Boa semana! :)



quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Jantar para uma...


... pessoa e quatro gatos a fazer snif snif!

Dificuldade zero, gulodice muita, ingredientes a jeito e de vez em quando lá se perdoa o mal* que faz pelo bem que sabe.

ALHEIRA DE CAÇA COM O ACOMPANHAMENTO IDEAL



É preciso ter uma alheira de caça e um ovo no frigorífico, uma embalagem de esparregado e um restinho de batatas pré-fritas no congelador. Neste utensílio, grelha-se a alheira e o ovo. No mini-forno assam-se as batatas em vez de as fritar e no wok faz-se o esparregado. Em menos de dez minutos o jantar está pronto. No prato. Na mesa. Ah e aconselha-se um copo de tinto para acompanhar a refeição. 


* Mal? Qual mal? Isto só faz é bem! - como tudo na vida, o exagero é que pode trazer dissabores!

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Dentro do tacho...


... porque em Tasca que se preze nem tudo vai à mesa na travessa!

Frango é das carnes que mais se consomem por aqui. E não é qualquer frango que nos satisfaz. Somos uns sortudos por participar, ainda que de modo passivo, na sua criação desde os poucos dias depois da bicada para fora do ovo até atingirem o tempo ideal de crescimento para aquilo que se pretende. E somos também para lá de sortudos por termos quem trate de toda a actividade de os criar até estarem prontinhos a ir tacho. A última vez que participei mais activamente foi no processo final, e... se forem muito sensíveis não leiam o resto da frase... só lhes tirei algumas penas e cortei as unhacas.

Aproveito para deixar aqui o meu imensurável agradecimento ao casal de Amigos que o fazem, isto e outras iguarias caseiras que vêm directamente do campo para a cidade, da horta deles para a cozinha da tasca.

Um dos petiscos que mais gosto é tradicional português e comum em muitas casas de família. Não tem receita especial nem ciência em particular, cada um faz a gosto, e num dos dias em que eles chegaram cá prontinhos a ir para a arca congeladora - apenas os corto em pedaços - eu não podia ter deixado de cozinhar logo um, de uma forma que... até me lambuzo! ;)

FRANGO GUISADO COM ESPARGUETE



1 frango caseiro cortado em pedaços
3 dentes alho esmagados
sal qb
1 copo vinho branco
1 ramo de salsa
1 folha de louro
2 colheres de sobremesa de massa de pimentão

Tudo dentro do tacho e deixar assim temperado dentro do frigorífico por algumas horas mexendo de vez em quando.

2 cebolas grandes picadas
2 tomates grandes sem pele e esmagados
1 cenoura em cubinhos (que desta vez não pus porque me esqueci)
1 copo de água (a mesma medida do de vinho do tempero)
azeite qb

Juntar os ingredientes acima e ligar o fogão. Deixar guisar lentamente e se necessário ir acrescentando alguma água a ferver. Rectificar o sal.

esparguete qb
água a ferver

Quando a carne der sinais de estar cozinhada, junto a água (a ferver) suficiente para cozer a massa. Coloco-a de imediato, começa a ferver, rectifico novamente o sal e (mais ou menos) dez minutos depois está pronto a servir.

Vai à mesa dentro do tacho, porque não tem o mesmo sabor se for servido de outra maneira!


domingo, 20 de outubro de 2013

Sunday's Music


Um fim de semana tranquilo está mesmo mesmo mesmo a chegar ao fim...

Convívio, culinarices, comezainas e amigos. Mais convívio, mais comezainas e bebezainas e família. Dormir até tarde, ignorar o relógio, relax e mimalhices com os meninos miaus e, mais convívio e amizade e esplanada mesmo com uns pingos de chuva. E se o propósito era estar fora de casa... cumpri-o com uma visita às lojas do meu coração, as livrarias e os artigos para a casa.

Soube tão bem!




Ah! E também fui ao baú... buscar a música de hoje :)

Boa semana a todos!


quarta-feira, 16 de outubro de 2013

A coisa promete...


... porque já chegou à Tasca a primeira colheita deste ano!*

Hoje comemora-se o Dia Mundial da Alimentação e, pelo mundo virtual em geral decorre o já habitual evento World Bread Day. Uma iniciativa que nos é proposta de forma a agradecer a comida que conseguimos ter para colocar todos os dias na nossa mesa e uma chamada de atenção ao desperdício de alimentos, que é incalculável... O desafio consiste em cozinhar uma receita de pão do nosso agrado e publicá-la no blog. 



Não fiz o pão nem participei na iniciativa... Mas o que vai começar a ferver na minha cozinha, o que é?

*Vai muito bem com pãozinho e até há quem goste de acompanhar com queijinho ;)


segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Anglófonos do dia-a-dia...

... que já não sabemos viver sem eles!

Report
Dockstation
Network
Reset
Login, logout
Wishlist
Zapping
Shopping
Know how
Handicap
Timing
Snack
Workstation
Online, Offline
Lobby
Mail
Zoom
Share
Atelier
Indoor
Airbag
Karma
Robot
Upgrade
Feeling
Replay
Low cost
Headphones
Pack
Voucher
Zen
Jackpot
Avant-garde
Low-profile
Leader
Delete
Box
Bouquet
Rewind
Check-in, check-up, checkout
Deadline

Estes foram só alguns dos que me lembrei agora e que uso frequentemente. E quando se está a falar com alguém que não entende? Torna-se embaraçoso desviar o pensamento da língua estrangeira traduzindo-a para a língua de Camões... Fica-se ali a tentar dar a volta ao assunto e com o cérebro a rodopiar... Eu assumo a minha mania de pensar em inglês e sometimes em francês! ;)

E vocês, também usam estrangeirismos? Abusam deles ou nem por isso? Já se sentiram embaraçados como eu?

Contem-me, please! ;)

domingo, 13 de outubro de 2013

Sunday's Music



Ele há com cada nome de grupos musicais... que eu até m'apago!


Cruzei-me com esta música algures numa estrada deste portugalito. Não me recordo de a ter ouvido antes e não a tinha ouvido do início. É o que faz pressionar o botãozinho no volante mudando frequentemente de canal em busca da música perfeita para o momento. Fixei-me primeiro no som. Agradou-me. Atentei numa parte da letra. Encaixou perfeitamente naquela ocasião. 


Ohohoh
I’m waking up
I feel it in my bones
Enough to make my system blow

Welcome to the new age
To the new age
Welcome to the new age
To the new age
...

Meu agrado às tecnologias, e com o auxilio do Shazam, marquei-a para ouvir melhor mais tarde. Gostei da sonoridade... a letra revelou quase como me sentia... radioactiva!





A todos, boa semana!


quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Hoje decidi...

... voltar a escrever aqui no blog!

Toda a minha ausência deste espaço de partilha não se tem prendido só com a falta de tempo. Mas também, com mudanças e outras prioridades da vida. Decisões e direcções a tomar que inevitavelmente implicam menos disponibilidade "mental". 
Nunca me passou pela cabeça apagar a Tasca da blogoesfera. Já, deixar de publicar, sim, passou e muito. Mas tenho deixado andar... com grandes intervalos de publicações e "resmas" de rascunhos que ao abri-los e tentar acabá-los para publicar, sinto que já tiveram o seu tempo e que já não "cabem" aqui.

Hoje decidi que irei continuar por cá à medida do meu tempo e da minha vontade mesmo sabendo que me sujeito a observações desgostosas por ter divulgado a Tasca a quem não merecia... Este espaço é meu e sou eu quem estou por detrás de cada acto, imagem, palavra e texto que aqui escrevo. Para críticas, julgamentos e outras coisas quaisquer existe a caixa de comentários em que todos são livres de escrever o que bem entenderem - identificando-se ou não, como quiserem - e eu jamais apaguei ou apagarei algum. Existe ainda o endereço de e-mail para onde me podem contactar e a quem eu darei resposta assim que me for possível. Agora o "foste-aqui-foste-ali-fizeste-isto-e-mais-aquilo" por parte de quem não tem vida própria e se alimenta da vida dos outros... eu vou simplesmente ignorar e seguir em frente. 
  
Quando se gosta do que se faz - e para mim a escrita, a leitura, o registo e a partilha com quem me merece e por aqui vai passando - é um verdadeiro prazer e nem que seja aproveitando uma hora de insónia a meio da noite para escrever ou mesmo um intervalo no meio do trabalho e até uns minutitos de ócio que se passam a olhar para o infinito podem ser destinados a este cantinho que é o meu espaço, a minha casa, a minha vida, os meus momentos, os meus gostos, as minhas alegrias, os meus sonhos, as minhas tristezas... no fundo, sou eu própria!

 

Estou de volta! :)




segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Chegaram hoje ao fim... as férias de verão deste ano!


E só nos dias que se vão seguir é que eu irei perceber se me irei sentir renovada e revigorada, ou não!

Foram dias de puro ócio. Alguns convívios, jantaradas e almoçaradas. Muita leitura. Passeatas com destino e outras sem e sempre para junto de água - porque eu sou uma pessoa de água embora o meu signo diga que sou de ar, talvez seja o ar e a água em conjunto que me satisfazem o prazer de relaxar - rio ou mar é o ambiente perfeito e que me ajuda a descontrair. Outros momentos de isolamento numa espécie de retiro espiritual... Apesar da oscilação de humor, soube bem esta pausa!



(só uma pequena amostra de dois locais onde me senti bem)


Amanhã é o regresso à rotina e, confesso que até estou com saudades!



segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Férias? Mas o qu'é qu'é isso, mesmo?!


Primeira [de duas] semana de férias em modo big mau humor... lamentável, meus caros, mas foi o melhor que se conseguiu arranjar...

Ao primeiro dia e já bem aviada de valentes dores de ripado, arranja-se uma tosse não se sabe bem onde nem como mas que vem com toda a intenção de ficar. Tenta-se, por tudo, arranjar-se-lhe um nome ou um remetente. Corrente de ar, não. Sol na moleirinha, não. Constipadura, não. Arranjaram-se mais mas nenhum lhe assentou bem. Procurou-se um código postal que ajudasse a esclarecer a proveniência, mas... nada. De modo que, deixá-la andar que conforme veio também há-de ir embora. Vai-se uma tarde à praia. Carrega-se o saco com a toalha, o protector solar, o livro, água, bolachas, óculos, cadeira e chapéu de sol e não se vai nem molhar os pés porque é a primeira ida do ano e ainda não se está ambientada. Sai-se de viagem a outra cidade, no dia seguinte, como companhia, e uma pessoa até se distrai porque passa por sítios diferentes e vê outras gentes. No dia que se segue, amarra-se o burro e não se sai de casa. Trata-se de nano-mini tarefas domésticas e alapa-se no terraço a devorar um livro. Aceita-se um convite para jantar em casa da filha e lá se vai a arrastar os pés mal humorados mas chega-se lá e a coisa passa e fica-se logo contentinha e sai-se de lá a delinear os dias que se seguem de forma muito aprazível e tenta-se dormir uma noite descansada mas a malvada da tosse não deixa e uma pessoa acaba por lhe fazer a vontade porque não tem outro remédio e, não dorme. Ao quarto dia, e bem de madrugada, uma pessoa está em casa e esquece-se que está de férias e vai de abrir o mail. Agarra-se aos assuntos a tratar e diz para consigo própria que está de férias e que aquilo pode bem esperar para quando regressar mas no entretanto muda de idéia e diz que até trata já daquilo, que é rápido e que fica com o resto do tempo livre para ir passear e quando dá conta já é hora de almoço e vai almoçar e ó desliga aquilo tudo ou então mais vale ir mesmo trabalhar. Já que se está de férias, opta-se por desligar e ir passear. Mentaliza-se um lugar onde se quer ir, um sítio onde até já foi muito feliz e pensa que recordar momentos felizes faz bem à alma. Antes de pôr as rodinhas da latinha a andar arrisca-se a fazer um telefonema a alguém que já fez parte da sua vida. O não está sempre garantido e o sim ao convite foi recebido com bastante surpresa. Faz-se à estrada e com paragens definidas pelo caminho lá chega ao destino. Um resto de dia bem animado com horas de conversa numa esplanada à beira rio e depois um jantar no sítio de antigamente. Soube bem por vários motivos, sobretudo porque conseguimos ficar amigos e isso é bonito. No dia seguinte já era sexta feira e programa de festas ou será férias?, nada. Toca a aspirar e passar o pano da limpeza aqui e ali e mais isto e aquilo e como se não bastasse a tosse, o mau humor ataca de novo e depois era para ir ali e mais acolá e não se vai a lado nenhum porque não e espera-se pelos dias que se seguem que certamente irão ser melhorzinhos mas afinal resumiram-se a mais do mesmo e pouco há a acrescentar porque não vale a pena e porque com tudo isto já lá vai uma semana e o que se conseguiu foi acumular ainda mais desgaste e revigorar que é bom tá quieto. Chega o sábado. É preciso ir às compras, é preciso abastecer o stock da engorda e do frigo, mas está-se de férias e se não for no sábado é noutro dia qualquer. Opta-se pelo outro dia qualquer e decide-se deixar passar o dia à espera que saia uma idéia de onde ir e com quem e fazer o quê e acaba por se ficar a vegetar à espera da idéia que não chega, essa malvada! e combina-se com a tosse que se vai dormir cedo não sem antes ler um bocadinho. A tosse alinha e até dá mostras de colaborar, mas quem é que consegue ler a ouvir a sessão de cinema que se passava na casa dos vizinhos dois andares acima? Eu juro que, se andasse a par da filmografia conseguia dizer qual o nome do filme a que estavam a assistir. Eu ouvi o filme todo e aqui garanto que quando eu quiser dar filmes p'rá vizinhança eu vou adquirir um Home Cinema tão ou mais portentoso do que aquele. Há-de ser um que ainda não inventaram. Um que permita aos vizinhos de cima não só ouvirem mas também verem o filme qu'isto assim não é bonito, ou se partilha tudo ou não se partilha nada, homessa!!! E depois, ainda farei melhor, irei eu mesma levar-lhes um balde de pipocas... Irra!!! Quem é que consegue ler assim? E dormir? E a tosse que se sentiu traída com o que tínhamos combinado e resolveu atacar ainda mais forte a noite inteirinha??? Irra que não há corpo que aguente? Ou será a cabeça?... O domingo amanheceu pr'ó tarde e decidiu-se que tinha que ser um dia diferente. Brunch fora de casa e bora lá lavar a latinha que até mete nojo de tão sujinha. Esmera-se na limpeza interior e na lavagem exterior. Ficou linda e a ofuscar de tanto brilho. Assim eu brilhasse tanto... Direccionei-a até à beira mar e ali de frente para ele tentei lavar a alma dos meus apoquentamentos ao som da música que me agradava. Regressei mais leve mas não tanto quanto desejava. A sensação de me faltar algo não me larga. E o quanto eu desejo que essa sensação me abandone... ou que se preencha... já nem sei... Pareço um puzzle incompleto... daqueles em que falta uma ou duas peças que se perderam no tempo e no espaço e não encontro outras com o formato adequado ou que com um jeitinho daqui e outro dali se consigam encaixar... E hoje, ao cabo da primeira semana de férias, fui às compras. Abasteci a despensa e o frigo. É que, mesmo estando de férias, uma pessoa tem que se alimentar, ???...


Nota importantíssima e a não descurar:
Cenourita Maria! Não planeies férias e nunca digas a ninguém que vais de férias, ok? Marca na hora e zarpa! Afinal, tu até sabes os "riscos" que corres mas esqueces-te dos "rabiscos" que teimam em te aparecer pelo caminho. Goza férias e descanso e diverte-te e distrai-te ou simplesmente não faças nada sempre que o achares por bem, mas não contes nem aos teus botões e muito menos aos trapos e objectos de uso pessoal que pretendas enfiar dentro do saco de viagem. Esses terão o prazer de saber assim que cheguem ao destino, os outros... só precisam de saber quando regressares, capice???


domingo, 1 de setembro de 2013

Sunday's Music, e...


... um meio regresso!

Olá gentes que por aqui têm passado à espera de boas novas e olá gentes que aqui vieram parar por acaso do destino! 

Tenho saudades da regularidade na vida blogoesférica. Tenho saudades da interacção convosco. Tenho saudades da actividade na minha amada Tasca... Não tem sido possível e até cheguei a ponderar encerrá-la, mas não, não faz sentido. Quero muito voltar e com toda a dedicação que este espaço merece. Quero receber-vos de sorriso aberto e partilhar tudo o que me apetecer.

Entretanto o Verão tem passado a voar e chegado o primeiro dia de Setembro, consciencializo-me de que...

- ainda não fui uma única vez à praia
- não comi um geladão como eu gosto
- não comi uma bola de berlim
- não fiz nenhum piquenique
- e mais uma resma de "nãos" que só de pensar quase fico triste...

Mas irei aproveitá-lo, agora, por uns dias, tranquilamente. E, regressar renovada por dentro e por fora! 




Se já repararam, sou moçoila de variado gosto musical. Deixo-vos com o Desfado da Ana Moura, que adoro! Uma excelente voz, uma interpretação magnífica, uma forma diferente de fado! Sabe tão bem ouvir...

Desejo-vos uma óptima semana e um excelente mês seja em trabalho ou em férias!

Boas férias para mim :)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...