Os Meus Artigos

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Os Descendentes

O livro!
Acabei de o ler!
Foi o primeiro livro que li, traduzido ao abrigo do novo acordo ortográfico (que não adopto) e de início estranhei, depois... quase já nem dava por isso.
Adorei a história. As descrições. Os pormenores.
O drama da perda eminente de um ente querido, as lacunas familiares, segredos escondidos, a infidelidade, a responsabilidade de um pai que outrora fora ausente e que necessita urgentemente de se tornar presente. A rebeldia das crianças. Uma história dramática com picos de excentricidade e sentido de humor. 

Envolvi-me nela. Emocionei-me com ela.

Este livro deu origem ao filme com o mesmo nome e protagonizado por um actor que gosto particularmente. Queria muito ter ido ver o filme aquando da sua estreia mas, refreei os ânimos e decidi que primeiro lia e só depois veria. Isto é a consequência de habitualmente me desiludir com os filmes baseados em livros (naqueles já lidos e também nos que leio a posteriori)

Sinopse:
Matthew King é advogado e um dos homens mais ricos do Havai, graças a uma ascendência que remonta a certa princesa havaiana. Delapidada, no entanto, pelas gerações subsequentes, da herança resta um ainda generoso lote de terrenos a que não faltam compradores. Mas a sorte muda quando, Joanie, a sua mulher, dada às frivolidades da vida mundana, sofre um acidente numa corrida de barco que a deixa em coma. Esta situação acarreta novas e difíceis responsabilidades para King, entre as quais aprender a lidar com as duas filhas, a pequena rebelde, Scottie, de dez anos, e Alex, uma adolescente de dezassete, que acaba de passar por uma desintoxicação de drogas. Entretanto, surpreendido por revelações inesperadas, King decide empreender com elas uma viagem...

Excerto:
"Preciso de ti. Preciso de ti aqui para ajudares as nossas filhas e para me ajudares a mim. Não sei falar com as pessoas. Não sei como viver correctamente.
...
É assim que sabemos que amamos outra pessoa, acho eu, quando não conseguimos ter uma experiência sem desejar que a outra pessoa estivesse ali ao pé de nós, a vivê-la também."
E, este fim de semana que se aproxima, vou refastelar-me no sofá a ver o filme!  :)


4 comentários:

xunandinha disse...

Nada melhor do que fazer o que nos dá mais prazer,aproveita amiga, pois eu só vivo para os outros,beijinhos bom descanso

S* disse...

O filme é bem bonito, o livro ainda deve ser melhor. :)

albana disse...

Pela descrição, deve ser um livro mesmo como eu gosto! Fiquei com vontade de ler. E também gosto mais assim, primeiro o livro e depois o filme!
Gosto da palavra "refastelar-me", gosto muito!

Bom fim de semana
Beijinho

Cenourit@ disse...

Xunandinha,
Mesmo vivendo para os outros (isso também me acontece) temos que dedicar algum tempo a nós próprias, senão... corremos o risco de nos deixarmos "apagar", o que não convém nada :)

S*
Ainda não vi o filme, mas o livro é muito bom :)

Albana,
"Refastelar-me" é tudo de bom... já experimentaste? Lê o livro e depois conta :)

Beijocas***

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...