Os Meus Artigos

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Da pesada, ou comidinha reconfortante para o estômago...


... num dos dias deste inverno!

Dizer que ando farta de inverno e de chuva e de frio parece-me certo porque é verdade, mas também me parece errado porque afinal é nesta estação que estamos e temos que nos aguentar à bronca e de cara alegre. Eu disse cara alegre? Xiça pah! Se há coisa que não tenho trazido é cara alegre. Nem preciso de me ver ao espelho. Sinto a minha expressão fechada e carrancuda. Sinto os músculos do rosto descaídos tipo amortecedor que deu o berro e não há força nem mola que o faça erguer. Haver, há! Eu é que não a vejo e... está mal, está muito mal! Mas eu sei que ela está lá, por detrás das nuvens. 

- Vá lá nuvenzinhas! Colaborem! Deixem os raios de sol rasgar-vos um pouco a pele e brindar-nos com a sua luz! 

Tenho tido conversas deste género com as nuvens, mas as marotas fazem ouvidos moucos e não me ligam nenhuma... E, numa tentativa de ver desaparecer expressões sombrias e, no seu lugar, sorrisos rasgados, fiz uma sopa da pesada. Uma sopa de feijão com legumes, massa, enchidos e carne. Ah valente!

- Ehlah! - e um sorriso de orelha a orelha.
- Sopa da pedra? - outro sorriso enorme.
- É tipo isso (como se diz agora)! - e lá se mexeram os meus músculos também.

SOPA DE FEIJÃO COM CARNE



feijão seco qb (cozi cerca de 0,5kg)
vinagre qb
azeite qb
sal qb
2 cenouras
1 cebola
1 couve coração
1 mão cheia de massa cotovelinho
2 pedaços de pernil de porco 
1 farinheira 
1 morcela
1/2 chouriço
1 molho de coentros frescos

Comecei por colocar o feijão de molho em água abundante e um fio de vinagre e temperar a carne com sal, deixando ambos assim durante a noite (de uma dia para o outro). No dia seguinte, retirei a água e os feijõezitos que ficaram ao de cima e lavei o feijão já demolhado por várias águas. Tirei o sal à carne. Levei o feijão a cozer com água limpinha, uma cebola e um fio de azeite. Noutra panela, cozi a carne. Depois de cozida retirei-a com a ajuda da escumadeira e na mesma água cozi os enchidos. Depois do feijão cozido, retirei uma taça cheia deles inteiros e triturei o restante. Fui acrescentando caldo de cozer a carne até fazer um puré ao meu gosto, assim grossinho. Já com a panela ao lume novamente, juntei as cenouras cortadas em pedaços pequeninos, a couve cortada e de seguida as massas e, à medida da necessidade, fui juntando caldo da cozedura da carne e enchidos. Enquanto os legumes e as massas cozeram, cortei a carne em pedaços pequenos limpando-a de ossso e gorduras (ficaram algumas daquela pele que eu adoro) e cortei os enchidos em rodelas. Antes de retirar do lume, juntei os feijões inteiros, a carne, as rodelas dos enchidos e polvilhei com os coentros cortados.

E foi a panela à mesa! E acompanhou-se a sopa com brôa!

- Hummm... que maravilha! Há quanto tempo não comíamos uma sopa de feijão assim?

Naquele momento, o sol deu um arzinho da sua graça espreitando por entre as nuvens... fiquei com a idéia de que queria provar a nossa sopa :)


0 comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...