Os Meus Artigos

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Eu e o meu mau feitio...

... acabámos de assinar um contrato sem termo! Ou melhor... vitalício!

Se há coisa que me irrita até ao tutano, é a falta de pontualidade e o incumprimento da palavra. Sou incapaz de marcar alguma coisa com alguém e... chegar atrasada e sou incapaz de combinar o que quer que seja e... não aparecer. O caso torna-se mais grave quando o assunto é de responsabilidade e sobe na fasquia quando o suposto interesse é da pessoa que falha e que, por sinal seria aquela a quem eu iria pagar por um serviço que a sua empresa me iria prestar.  
Depois de alguns contactos telefónicos, ficou agendada uma data. O dia passou, eu esperei e... nada. Passaram-se dias e semanas e chega novo contacto:
- Ah! D. Anabela... não tenho conseguido contactá-la... e blá blá blá... - a interessada a desfazer-se em desculpas.
- Não tem conseguido? Como assim? - eu, que estou quase sempre contactável e que, quando não estou, faço sempre o retorno do contacto.
A coisa ficou novamente agendada, para hoje às 14h00m. São neste momento 16h35m. A pessoa não apareceu. Eu já vasculhei a farmácia cá de casa à procura de uma qualquer espécie de pílula anti-cólera... não encontrei. O nó da indignação está no limite máximo. E nem que ela me apareça aqui para me fazer o serviço de borla... é que não tem mais hipóteses. Nem aqui, nem em qualquer sítio do mapa que dependa de mim.

Sou deveras exigente comigo e tenho sido ultra-tolerante para com os outros. Sou uma verdadeira totó que sente compaixão por aqueles que mesmo não conhecendo bem e de quem apenas ouça ou sinta dificuldades, está lá, despe a camisa e dá o que tem e o que não tem para ajudar e depois, é isto... Que falta de consideração!

Estou farta! E isto é apenas um episódio dos tantos que se me têm atravessado no caminho. O tempo passa e, naturalmente ou fruto do cansaço, tudo muda por estas bandas. Do meu contrato com o meu mau feitio, constam ainda outras cláusulas de que, a seu tempo, aqui falarei delas.



ADENDA: Depois de redigir o post e restar apenas clicar no botãozinho "publicar mensagem", a campaínha tocou. A pessoa em causa estava à porta. Argumentos à parte, recebi-a. Manifestei o meu desagrado e a minha ira. Voltou a desculpar-se e voltou costas convicta de que a tarefa lhe irá parar às mãos... A ver vamos, mas... no meu contrato com o meu mau feitio, está escrito, que não!


13 comentários:

Sissamar disse...

Acho que fazes muito bem, gente dessa não é de fiar. Não sei do que se trata mas se for algo que possa precisar novamente de contactar com essa gente provavelmente já nem consegues mais!
Mais vale procurar outro, o que não falta aí é gente a "dar sopa"!
Beijinhos

conceicao disse...

Como eu te entendo....Há falta de trabalho, mas tb há quem não queira. Mas se estão 10 min numa fila reclamam, não se importam é que os seus clientes esperem meses. A mim já me aconteceu com um sr. que vinha buscar um móvel para restaurar.
Bjs

Maria disse...

De facto a maior parte das pessoas/serviços têm uma grande falta de profissionalismo a que se junta o deixa andar costumeiro...
Essa já aprendeu, que há regras e palavra a cumprir...
Bom feriado
Maria

Nina disse...

UI o mundo dos adultos é complicado, beijinhos

ameixa seca disse...

Tenho uma costela britânica, falta de pontualidade não dá. Os meus alunos passam a vida a dizer que eu cheguei mais cedo que a hora combinada :) Eu cá sou assim!

Alcina disse...

Por acaso também tenho parte nesse contrato do mau feitio, também não suporto falta de pontualidade e de responsabilidade e por mim essa pessoa já estava riscada, porque já demonstrou que o que quer que seja não vai fazer direito, por isso é melhor ir á vidinha dela antes que dê mais chatice :-)
bjs

M. disse...

Eu, na maioria das vezes, ando à rasca para cumprir prazos e atraso muitas vezes os trabalhos, confesso, não dias ou semanas, mas algumas horas (um dia no máximo, mas mais raramente). Para quem trabalha por conta própria (e sozinha, como eu), é mesmo difícil cumprir, a menos que se aprenda a dizer não e a rejeitar trabalho. Bem, vou trabalhar mais um bocado...
Beijinhos,
Madalena

Susana Gatita disse...

Também fico possessa com atrazos e incumprimentos, mas infelizmente nem todos são assim e vai não vai lá apanho um chá daqueles... e o pior é que custa-me muito desculpar esse tipo de coisas, os télélés existem para alguma coisa não?? Bjinho

vivie disse...

quando n há responsabilidade ,normalmente é assim...n custa nada as pessoas serem frontais e dizerem logo que n podem ou n querem..mas hoje em dia é a lei do safa-te e os outros que se lixem!!
eu sou como yu..já tive comercio,e quando uma ecomenda passava da data de entrega..anulava ...bjs

paula MARIANA disse...

Só a nós, comuns cidadãos, é pedido para sermos responsáveis e cumprir com os nossos deveres (pagar e muitas vezes calar) no que toca ás empresas ou ao estado é o contrário, atrasos e irresponsabilidades e a culpa é de quem???? Temos de mudar isto e o certo é termos atitudes como as tuas e mostrar-mos o nosso desagrado e descontentamento e exigirmos o que de nós exigem...

beijinhos!!

Erica disse...

e mai nada, e só fala assim quem tem rama farfalhuda.
Agora vou tirar nabos da púcara aqui ca nossa ameixinha ( os meus alunos???) ando mesmo distraida
beijos

Rachel disse...

A falta de palavra é um péssimo defeito. 1 ou 2 vezes ainda vá, agora quando é regra a outra pessoa fica passada.
Antes chegar cedo doq ue mais tarde!

Bjs

Cenourit@ disse...

Sissamar,
Por vezes temos que tomar atitudes drásticas :)

Conceição,
E ainda se queixam que não há trabalho...

Maria,
O "deixa andar" vai dar no deixar de ter clentes... :)

Nina,
Bem verdades! Aproveita bem enquanto não chegas ao mundo dos adultos :)

Ameixa,
Eu também devo ter! Se marco para umas hora tenho que chegar uns minutos antes (nem que fique num sítio qualquer perto à espera)

Alcina,
Está riscadinha da silva... comigo não dá este tipo de atitudes :)

Madalena,
Como já te disse, no teu caso é diferente, não há comparação possível :)

Susana,
Eu não consigo desculpar este tipo de coisas e se as desculpas fossem válidas o telélé servia para avisar... :)

Vivie,
É isso mesmo, se não estão interessados em fazer o serviço mais vale dizerem logo em vez de andar a empatar e fazer consumir quem dele precisa... não há paciência! :)

Mariana,
Se fôssemos todos a agir assim, certamente que tudo mudaria para melhor :)

Rachel,
Um imprevisto tem sempre tolerância, agora quando é hábito não há desculpa (ainda por cima fiquei hoje a saber por outras pessoas que fazem isto com toda a gente... admiro-me como ainda estão no mercado, mas enfim...)

Beijocas a todas***

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...