Os Meus Artigos

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

As minhas meninas miaus...

... foram esterilizadas!
 
Em meados do passado mês de Outubro, mãe Lira e filha Pipoca foram à faca! Uma decisão que foi sendo adiada até o mealheiro dos miaus permitir*. Duas gatuxas a ser intervencionadas ao mesmo tempo, é dose, mas tinha que ser. Para o bem da saúde delas e para o descanso da família humana.
 
Na véspera, à noite, taças da comida retirada do alcance de todos. Que tormento! Tudo a miar e a pedir as taças no sítio e bem cheias, de preferência. No dia marcado, logo de manhã cedo, taças da água retiradas e aquário do peixe bem escondido, outro tormento! Parecia que estavam as duas a adivinhar ou então ouviram atentamente o telefonema da marcação... foi outro tormento para as conseguir agarrar e meter na transportadora.
 
Eu de coração apertadinho mas confiante porque a equipa médica da família felina é para lá de excelente, elas, nervosas e agitadas durante o curto percurso até à clínica. 
Ficaram bem entregues, como sempre, e por volta do meio dia recebo o telefonema da Doutora a dizer que tinha corrido tudo bem e para as ir buscar às dezoito horas.
 

 
Felizmente, andei tão ocupada nesse dia que depressa chegou a hora tão desejada. Lá fui. Estavam as duas bem acordadas mas ligeiramente atordoadas. Bufavam-se uma à outra, Não se podiam ver. Tinham ido juntas na mesma transportadora, mas o regresso teve que ser em segurança, cada uma numa transportadora. A chegada a casa... só visto! D. Lira trepou para cima de tudo o que é móvel, mesa, cadeira, parapeito... parecia que andava a testar as forças e a fazer o reconhecimento da local. D. Pipoca enfiou-se no cesto e não se mexia. Só bufava à mãe Lira, ao pai Napoleão e ao tio Petit. Pai Napoleão passou a noite e o dia seguinte fechado no meu quarto, não as podia ver... começava a desfalecer e só de eu lhe tocar com um dedo ia-se abaixo das canetas. Ao terceiro dia já tudo começava a normalizar. Já todos comiam, bebiam, brincavam e dormiam e a única atrapalhação era mesmo a vestimenta das meninas. Duas consultas de seguimento à operação e mudança de penso e tudo a cicatrizar normalmente. D. Lira até que lidou bem com o vestidinho rendado, agora D. Pipoca... despiu-o vezes sem conta... e lá se viram livres das fatiotas no dia seguinte à retirada dos pontos. O pelo rapado já cresceu e o apetite das meninas... quintuplicou! Xiça pah! Só pedem comida, parece que andam sempre esfomeadas e se me apanham na cozinha é o cabo dos trabalhos... até as migalhas de pão marcham...
 
 
 
* Sim, os meus meninos têm mealheiro e, quem tem o prazer de conviver com eles e usufruir dos espectáculos de circo felino, das suas carneirices e mimalhices é convidado a depositar lá uns trocos que se destinam a consultas veterinárias anuais e outras não programadas, brinquedos, gulosices e demais mimos de conforto para eles.
 
 

9 comentários:

Gaja Maria disse...

Óóó, custa tanto vê-los assim. Também já passei por isso com o Zé e a Maria...
Mas agora tudo passou e é melhor para todos. Jinhos :D

Gaja Maria disse...

Esqueci-me de perguntar, recebes-te umas certas fotos que te enviei?? :D

sandra pereira disse...

Ola, bom ano! Descobri agora mesmo o seu Blog...ADOREI...
Achei imensa piada ao "mealheiro dos miaus", uma excelente ideia, sem duvida.
A minha Mel tambem ja foi esterilizada, agora vai o Mike, mas ainda so tem 6 meses...
Felicidades. Beijinho

sandra pereira disse...

Ola, bom ano! Descobri agora mesmo o seu Blog...ADOREI...
Achei imensa piada ao "mealheiro dos miaus", uma excelente ideia, sem duvida.
A minha Mel tambem ja foi esterilizada, agora vai o Mike, mas ainda so tem 6 meses...
Felicidades. Beijinho

São Ribeiro disse...

O meu também foi esterlizado e nesse dia tive tanta pena dele anda tão triste e mal conseguia andar.
Mas teve uma boa recuperação.
Só tive que mudar a marca da comida de resta é um mimelo e come que se farta de vez em quando tenho que lhe corta na ração.
Achei engraçado o mealheiro é uma boa ideia.
Miminhos para elas.
bjs

Rachel disse...

Optei sempre por esterilizar logo no inicio de eles serem pequenos, o mais novo, que já faleceu, foi o veterinário que ofereceu a esterilização, porque abdandonaram-no à porta da casa dele e nós é que ficámos com o gatinho. Os meus ficavam com os "colares" nos 1.ºs dias, para não retirarem os pensos. Nunca notei que o apetite aumentasse e também nunca engordaram nada por aí além.

Agora só tenho uma gata, e uns quantos que aparecem lá à porta a pedinchar comida, tadinhos, eu dou não tenho coragem para os ignorar, só porque alguém assim o fez. Mas acho que não fico com mais gato nenhum, depois da Tigrinha morrer acabou. Dói muito quando ficamos sem eles.

Anabela Julião disse...

Gaja Maria,
Pois... eu també, tinha passado com os rapazes miaus ainda novinhos mas com as meninas é diferente e fui adiando, adiando... até reunir condições para fazer as duas ao mesmo tempo :)
A tua srpresa chegou ontem e adorei, obrigada :)

Sandra Pereira,
Bem vinda à Tasca :) É sempre um prazer receber visitas e saber que quem aparece de novo se sente bem com o que por aqui se conta :)
Os meus dois rapazes miaus, o Petit e o Napoleão foram esterilizados por volta dos seis meses de idade, as meninas é que ficaram para mais tarde, mas correu bem e agora é um descanso :)
O mealheiro deles, comecei a fazer à medida que a família felina foi aumentando, ter 4 é diferente de ter um ou mesmo dois... e dá um jeitão :)

São,
Os meus meninos foram esterilizados por volta dos seis meses de idade e quando regressaram a casa foi quase como se não se tivesse passado nada, nos machos é mais fácil e a recuperação muito mais rápida. E eles, até que nunca engordaram muito (fazem muito exercício, muita correria, eheheh) agora elas, ai ai que comem muito mais e já se notam bem mais gordinhas :)
O mealheiro é uma maravilha :)

Rachel,
Dos 4 miaus que tenho, os rapazars foram esterilizados cedo e nunca ficaram com o colar e também não engordaram nada por aí além, as meninas é que foi só agora e deve ser das hormonas femininas (eheheh) que estão a engordar.
Olha, eu, em toda a minha vida já tive muitos gatos, e tive a Julieta 18 anos. Deves conseguir imaginar o que é perder uma gata ao fim de tantos anos a viver connosco... depois, estive um período de tempo sem querer mais nenhum, foi uma espécie de luto, até que percebi que não fazia sentido e que precisava ter outro... veio um, dias depois veio outro (que infelizmente não resistiu à quantidade de lombrigas que trazia), depois adoptei outra, e outro e até que nasceu cá a Pipoca... cheguei aos quatro e adorava ter condições para acolher muitos mais... Pensa nisso, e se puderes adopta outro. Um não substitui o outro mas ficam as recordações e há tantos a precisar de um lar :)

Beijocas e turrinhas da gataria***

Maria disse...

Ahahahah, é mesmo assim, também me lembro das minhas, embora tivesse sido em separado é sempre um filme até estabilizar. Principalmente com a outra sempre a cheirar e cheia de pontos de interrogação como quem diz: mas o que é que deu a esta agora para andar de vestidinho???

Anabela Julião disse...

Maria,
Pois é!
Elas, taditas, não entendem muito bem... o que vale é que até estabilizam rápido :)

Beijocas***

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...