Os Meus Artigos

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Arroz de Polvo


Esta semana decorreu mais ou menos a meio gás, com a Titó e os "filhotes" de férias não fiz nadinha de jeito (são todos bem crescidinhos mas gostam da companhia cá da cota) a não ser aproveitar uns bocados para me divertir com eles. Na quarta feira a Titó não parava de me azocrinar a caixa dos pirolitos... "Oh Mãe Bela... vá lá... vamos à praia!!!" e eu que não ando nada inclinada para pôr os meus pézinhos na areia... "Oh Titó... vá lá... não me melgues!!!", "Oh Mãe Bela... please... vem connosco...", "Ai Titó... xiçaaa... eu até vou dar uma volta com vocês mas... praia... só mesmo passar por lá para ver os bifes estendidos ao sol!"eheheh

Com tanta insistência, lá me armei em turista de chinelo, digo, havaiana (que é muito mais in), óculos de sol, calça arregaçada, t-shirt apropriada ao bronze à pedreiro, saco desportivo ao ombro, chave da latinha na mão e... "Bora lá que se faz tarde!!! Estão dispostos a ir onde eu os levar???" e todos em coro "Yessss!!!"

Latinha fora da garagem e eles "Onde vamos?", "Ah ah ah... hão-de ter muito a ver... hummm... que tal apanhar umas pinhas que dão um jeitão para acender a lareira no inverno? ;)", "Oh! Não! Tá muito calor... vamos comer um gelado à beira mar...!"

Lá fui em direcção à beira mar, sem destino concreto mas já com uma ideia na cabeça. Passámos a S. Pedro de Moel, boa zona sim sr, cheia de veraneantes e uma tremenda confusão de gente, estavam a transmitir em directo de lá na RTP 1 um programa especial de verão. Seguimos pela estrada atlântica (estrada à beira mar que liga todas as praias da região) até à Nazaré. "Ora cá estamos, já não passeava por estas bandas há imenso tempo", tivémos sorte a estacionar, fomos lanchar e passear pela marginal a pé com muito calor e a entrar e sair em tudo o que eram lojinhas de artesanato e souvenires. Gosto sempre de dar uma espreitadela, encontam-se coisinhas engraçadas para decoração que é uma das minhas perdições. O pessoal jovem já arrastava os pés ao andar, já não "podiam com uma gata pelo rabo" e eu, "Agora vamos à lota!", "À lotaaaa??? Fazer o quê???", " Oh meus queridos, vamor ver os barcos e traineiras a chegar e ver se arranjamos peixinho fresco para o jantar", "Uh! Humm! Ah! Boa idéia!". Uffff! Estava a ver que iam reclamar... Lá chegámos, queria sardinha ou carapau ainda a saltar, mas... nada... diziam os peixeiros e peixeiras "Ah Miiiigaaa! Sardiiiinhaaaa, Carapauuu... nem penses Miiiiga... Hoje só sai Polvo!", " A sardiiinha na quer nada c'agente... ontem só chigou um barco cum ela e já eram onze da nôte..."

Pronto... estamos tratados... não há sardinha, não há carapau... vai polvo, já que assistimos à saída dele do mar e que ainda vinha vivo, com aqueles tentáculos medonhos a agarrar-se a tudo quanto era coisa...

Chegados à Tasca e depois de jantar, tratou-se de amanhar o bicho, que felizmente já não mexia... foi a primeira vez que tratei desse assunto, até gosto de amanhar e arranjar o peixe mas aquilo era novidade para mim, compro-o sempre já arranjado ou congelado, mas foi giro, chamei a Zélia e o Zé "Ai meninos... tenho que dar conta ali de um bicharoco... será que estão dispostos a dar uma ajudinha???", "Um bicharoco? Vamos já lá!" E, lá se arranjou e limpou e ficou logo combinado um petisco para o jantar do dia seguinte, Arroz de Polvo "Vivo" à Tasca da Cenourita!

1 polvo com 1,800 kg
Cozido da seguinte forma: pouca água numa panela e uma cebola com a casca ao lume, logo que começou a ferver mergulhei o polvo lá dentro e deixei a cozer até a cebola estar cozida e dar um corte num tentáculo do bicho para confirmar a cozedura. Retirei, deixei arrefecer e cortei em bocadinhos. A água da cozedura, reservei.

1 cebola grande picada
3 dentes alho picados
1 folha de louro
1 bom fio de azeite (a cobrir o fundo do tacho)
1 raminho de salsa
Tudo no tacho, e deixei refogar bem até a cebola ficar transparente, tendo o cuidado de ir mexendo para não queimar.

1 tomate grande madurinho
1 saquinho de molho de tomate (que tinha congelado, porque na época do tomate, gosto de congelá-lo já prontinho a ir para o tacho e aproveito sempre o sumo e congelo também)
1 malagueta
1 pouco de vinho tinto (a olhómetro)
Juntei ao refogado e deixei em lume brando para cozinhar bem o tomate e apurar.

Arroz qb
Sal qb
Caldo da cozedura do bicho
Depois de bem apuradinho, juntei o arroz, dei umas mexidelas até começar a cozer naquele molhinho, acrescentei o caldo suficiente para a cozedura, temperei de sal e ficou ao lume uns 10 minutos até ficar cozido e malandrinho.

Salsa picada qb
Retirei do tacho onde cozinhei e passei para um recipiente de ir à mesa em Grês préviamente aquecido. Polvilhei com a salsa picada e servi.

Acompanhámos com um vinho branco do norte que não sei bem a zona, mas que era soberbo. Houve quem reclamasse que o polvo estava rijo e que o arroz estava uma delicia... enfim... isto de agradar a gregos e a troianos nem sempre é fácil. Mas o que é certo é que se comeu quase tudo e se passou mais um serão agradável de verão.

8 comentários:

Nana disse...

Amoo esses passeios pela praia.
Amiga, aqui o polvo vai para panela de pressão antes de tudo kkk
Será que foi por isso que reclamaram?
Bjs

anna disse...

Estou fã do teu tacho e do respectivo conteúdo... Com uma história tão gira como a tua a fazer de cenário, como é que o malandro do arroz não havia de sair perfeito?
Beijinhos.

Célia disse...

Adoro polvo,pena que aqui em casa seja a única, o teu esta lindo.

ameixa seca disse...

Como eu entendo o não quereres pisar a areia e estar como um lagarto ao sol :)
Foi mais produtivo ir à lota... e trazer o bicho que se agarrava a tudo quanto era coisa (confesso que fiz um pikeno filme nesta parte eh eh) para o jantar :)
Ficou com óptimo aspecto.

Cenourita disse...

Queridas Amigas
Modéstia à parte estava mesmo bom e a companhia ajudou à festa :)
Quanto ao pisar a areia e estender-me ao sol... não ando com pachorra para isso, desafiem-me para tudo menos praia, acho que enjoei, será da idade???...
Oh Ameixinha... esta história dava mesmo um filme e, daqueles de rir às gargalhadas.

Beijocas***

Ana Rita disse...

Ir à praia é muito melhor k ir à lota... :)

Xiii....polvo duro!!!!

lol

bjs*

Telmo disse...

Só mesmo a menina Ana Rita para reclamar do jantar... Para a proxima ofereces a Mae Bela uma panela de pressão para ela cozer o polvo e assim ja nao fica duro como tu dizes...
Mais um belo petisco da tasquinha da cenourita :)

Guida* disse...

Oi Cenourita, já regressei das minhas mini férias e deparo-me com esta delícia. Desde pequenina que é uma alegria quando a minha mãe faz arroz de polvo, ela sabe que gosto muito, então se for fresquinho como o seu melhor.

Beijokas

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...