Os Meus Artigos

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Grande e bem saboreado...


... este fim de semana!

Com mau tempo por todo o território nacional, chuvadas intensas, muita ventania e o primeiro nevão da época a cair na Serra da Estrela. Mudou a hora para o horário de inverno, de repente demos conta que já era de noite e, soube bem!

Soube bem estar no recato do lar. Soube bem sentir o quentinho das mantinhas no sofá. Soube bem ficar na cama acordada até mais tarde a ouvir a chuva e o vento lá fora. Soube bem cozinhar refeições aconchegantes e sentir os aromas no ar. Soube bem descascar e comer nozes e figos secos. Soube bem ler. Soube bem escrever. Soube bem ouvir musica.


Hoje, primeiro dia do mês de Novembro, Dia de Todos os Santos e do Pão por Deus, acordámos ao som do toque da campaínha e com um sol lindo a brilhar de nascente. Excelente dia para as crianças andarem de porta em porta de saca na mão. Tinha já preparados cestos com guloseimas para dar às crianças, rebuçados, chocolates e chupa-chupas. É uma tradição antiga nesta zona do país, as crianças saem à rua com uma saquinha de pano, batem às portas, tocam às campaínhas e pedem o Pão por Deus. Nos meus tempos de criança, até me regalava com este dia, davam guloseimas, castanhas, nozes, figos secos, rebuçados, maçãs, merendeiras e por vezes um ou dois tostões, era uma festa. Nos tempos de hoje são muito menos as crianças a tocar à porta, mas fico contente por aparecerem algumas, de sorriso rasgado, saquinha aberta, e:

- Tia dá bolinho?
- Tomem lá meninos!

Agradecem com um brilhozinho no olhar e voltam costas bem rápido, para tocar a outras portas e não perderem tempo... Outras tocam e desaparecem num ápice, nem me dão tempo de pegar no cesto e chegar à porta.

- Meninos! Meninos! Meninos! - chamava eu, mas já estavam nos andares de cima e não voltaram atrás.

A um grupo de três, dois meninos e uma menina, com cerca de sete ou oito anitos, perguntei-lhes:

- Então meninos! Muito bolinho? Muitas guloseimas?
- Nã! Nem por isso! Está fraco!

Viraram costas satisfeitos e deixaram-me a pensar... Realmente! Há muita gente que não abre a porta e não dá nada! É certo que a vida não está fácil, mas sentir a alegria estampada no rosto destes miudos, vale tudo, e por meia dúzia de euros que se gastem, vale ainda mais do que tudo! E, a firmeza com que eles afirmam a comparação com anos anteriores. Pequenitos de corpo e idade, mas... bem desenvolvidos de consciência!


Soube bem! Soube mesmo muito bem!



4 comentários:

Abóbora Amarelinha disse...

é pá que titulo mais estranho...adiante, aqui na minha zona não há muito essa tradição. Um ano por outro lá apareçem uns muidos, mas não há entusiasmos.
Já a tradição dos bombeiros sairem á rua com as sirenes ligadas, mantem-se, e continua a arrepiar até á alma.
beijos

Anónimo disse...

Maria
Olá cenourita, há muito que sou visita do seu blog, que gosto muito, mas nunca tinha cometado, mas hoje não pude deixar passar.
Ainda bem que as nossa tradições ainda se mantêm nalguns sitios, pois nos grandes centros urbanos, pelo menos aqui mais a sul, é sou halloween, que não tem nada a ver connosco. É com prazer que sei desta notícia. Bj. Maria

Susana Gatita disse...

Aqui na minha rua chegam aos bandos durante toda a manhã, ainda não cheguei à cozinha já tenho de voltar para a porta para atender mais um grupo. Normalmente tenho de comprar coisas em doses industriais senão a meio da manhã já não tenho nada....
Mas é de facto engraçado ver aqueles olhitos a olhar para o cesto das coisas a ver quais as guloseimas que vão receber...

Lígia disse...

Olha aqui em Azeitão também há! E eu fui muitas vezes pedir o pão por deus;) E uma colega da universidade que é de Leiria é que me disse que aí pedem "Ó tia dá bolinho!"!! Achei um piadão:D Aqui gritávamos "pão por deeeeus"!
Já não se veêm tantos miúdos agora, mas ainda há!;)

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...